Escorregadores urbanos, já!

Escorregadores3

Aproveitando o clima de protesto, poderíamos incluir essa na nossa pauta para agilizar o cotidiano. Certamente não agradaria a todos, mas que é divertido e permite acelerar um pouco o nosso dia-a-dia, disso não há dúvidas. Em várias cidades do mundo, têm sido construídos escorregadores urbanos ao lado de escadas – assim uma tarefa normal do cotidiano vira rapidamente um momento divertido.

Em Utrecht, na Holanda, o escorregador é grande atração em uma estação de trem. Já em Berlim, Alemanha, foi no metrô que ele apareceu e a verdade é que, além do momento lúdico, o escorregador permite melhorar o fluxo dos passageiros.

Assista ao vídeo na estação de metrô da capital alemã: impossível não amar a ideia.

Anúncios

As estações de metrô mais legais do mundo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quem anda de metrô sabe que essa atividade pode ser muito estressante. Mas isso não precisa ser desse jeito. Quando um ambiente criativo e curiosos nos é proporcionado, nossa atenção se volta para as peculiaridades do lugar, e não necessariamente os pontos ruins. Estas são algumas das estações de metrô que não são apenas paradas de nosso meio de transporte.


A Stockholm Tunnelbana, na Suécia

Os incríveis túneis de metrô da Stockholm  contam com estações que fazem das paredes de pedra crua uma verdadeira obra de arte, ao invés de cobri-las com algum material artificial, dando um ar bem natural, como se fossem cavernas subterrâneas. As 100 estações contam com trabalhos de 140 artistas pelas paredes e tetos rústicos.

A Museum Station, em Toronto, Canadá

A estação foi redesenhada pelos arquitetos da Diamond Schmitt, que incluiu colunas inspiradas em artefatos que são encontrados no Royal Ontario Museum, que fica sobre a estação. As colunas remontam 5 civilizações antigas: o Egito Antigo, a cultura Tolteca, a China e a Grécia Antiga.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O sítio arqueológico Iridanos, em Atenas, Grécia

Quando as escavações das obras de construção do metrô de Atenas começaram, mal imaginava-se que haveria uma grande descoberta arqueológica: o antigo rio Iridanos foi encontrado ainda correndo, bem onde os engenheiros haviam delimitado como uma estação de metrô. Ao invés de eliminá-lo, por que não incorporá-lo à construção? Foi isso que os engenheiros fizeram, e Iridanos é agora um sítio arqueológico dentro de uma estação de metrô.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A estação Iidabashi, em Tókio, Japão

Construída no ano de 2000, a estação Iidabashi é clara, aberta e moderna. Idealizada pelo arquiteto Makoto Watanabe para ser “entrelaçada, interligada, expansiva e pulsante”, a construção conta com canos verdes que passeiam por todo o ambiente. Na entrada, vidro e metal dão o tom futurista.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Bockenheimer Warte, em Frankfurt, Alemanha

Uma entrada nada usual: como se um trem estivesse saindo pela calçada. O arquiteto responsável, Zbiginiew Peter Pininski, declarou que se inspirou no artista surrealista René Magritte para criá-la.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bund Sightseeing Tunnel, em Shangai, na China

Muitos declaram que a Bund Sightseeing foi construída para ser atração turística, e não um meio de transporte. Qualquer seja sua função, as cores e as peculiaridades dessa estação chamam a atenção de todos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Kunststoffhaus FG 2000”

514c73b55b092-3ac_decoracao-anos60-psicodelico-sixties-02

Você já deve ter lido em alguma revista de moda recente que a década de 60 está voltando com tudo, certo? Coincidentemente, descobrimos esses dias as fotos de uma casa maluca construída entre 1968 e 1970 em Altenstadt, na Alemanha. Com estrutura externa pré-fabricada em fibra de vidro, ela virou um marco da arquitetura dessa efervescente década. A casa lembra muito as instalações lúdicas do designer Verner Panton, hoje considerado um grande mestre do design – foi ele quem desenhou a lendária cadeira Panton, lembrou? Porém, o responsável por esse projeto inusitado é Wolfgang Feierbach, que batizou sua criação de “Kunststoffhaus FG 2000″.
Ao que tudo indica, a ideia era que esse espaço funcionasse como uma “party house”, perfeita para organizar festas e reunir muitas pessoas em uma atmosfera psicodélica. No final dos anos 60, as experiências com alucinógenos eram consideradas algo comum, até rotineiro na vida dos jovens, e isso influenciou diretamente o design de interiores – para os revolucionários da época, era necessário criar espaços tão estimulantes e extraordinários quanto os delírios provocados pelas drogas. Materiais surpreendentes, como, nesse caso, os tapetes instalados no teto, provocavam experiências sensoriais únicas, transformando os ambientes em um complemento do efeito dos alucinógenos, prolongando o estado de transe. Isso talvez explique também o uso de cores contrastantes em praticamente toda a casa.
A decoração da “Kunststoffhaus FG 2000”, como o próprio nome sugere, também revela a influência de outra forte tendência da década: o visual Space Age. Com a chegada do homem à Lua, o tema espaço se tornou popular no cinema, em livros e também dentro das casas. Móveis com pegada futurística e formas orgânicas começaram a fazer muito sucesso, entre eles as poltronas da série Dijnn, de Oliver Morgue. É, talvez esse lado psicodélico dos anos 60 não funcionasse muito bem nos dias de hoje, mas uma coisa é certa: todo mundo adoraria ter a chance de ir em uma festa de arromba nessa casa, né?

Kollektiv Turmstrasse

Kollektiv Turmstrasse é um projeto de música eletrônica  e artes integradas  nascido na Alemanha. No entanto, esses caras não podem ser facilmente classificados: Kollektiv Turmstrasse faz música para o momento e para a eternidade, para dentro e para ar livre, para a alma e para a pista de dança.

Quando Nico e Christian começam seu live set, é como se alguém jogasse um balde de energia na multidão. Na estrada por mais de dez anos, estes dois espalharam suas boas vibrações pela Europa, passando pela Rússia até o Japão. Sem planos de parar com a turnê,  seus fãs crescem deliberadamente.

O primeiro longplayer da dupla se chama “Rebelião der Träumer” (rebelião dos Sonhadores) superou as expectativas com um trabalho altamente complexo,  sensível e de fundo reacionário. Suas  melodias são complementadas por vídeos inspirados no design orgânico e na luta para a preservação ambiental.

www.rebellion-der-traeumer.de.

www.lastfm.com.br/listen/artist/Kollektiv%2BTurmstrasse/similarartists