Doces e Brinquedos – O fabuloso foguete de Georges Méliès

voyage

Le Voyage dans la Lune, 1902

O fantástico Georges Méliès, após realizar 555 filmes, em duas décadas de muita imaginação, terminou os seus dias consertando brinquedos em sua loja na estação de Montparnasse, em Paris. Seu último curta-metragem foi ao ar em 1914, às vésperas da Primeira Guerra. Falido, sentindo-se fracassado, enfurnou-se em meio aos bric-a-bracs. Somente em 1929, foi redescoberto em uma mostra de seu Le Voyage dans la Lune, recebendo enfim o reconhecimento que lhe arrefeceu a velhice. Aos 78, ainda entre brinquedos e doces, partiu em um fabuloso foguete, acertando o olho da lua.

Méliès, como todos nos primórdios do cinema, filmava em preto e branco, mas também lançava seus filmes em cores, colorindo à mão, frame por frame, quadradinho por quadradinho, as películas para exibição.
A versão colorida da clássica Viagem à Lua ficou perdida por décadas, até que uma lata foi encontrada em Barcelona na década de 90, com o filme bastante deteriorado. Passou-se então ao processo de restauração, meticuloso, usando tecnologia digital, para recuperar o tesouro perdido. O resultado foi apresentado em Cannes, 2010, causando vertigens nos cinéfilos mundo afora. Agora está disponível, em HD, a um clique de distância:

Em 2011, Martin Scorsese lançou sua homenagem à Georges Méliès em forma de filme: A Invenção de Hugo Cabret. Adaptado do livro homônimo de Brian Selznick, o filme conta a história de um menino que vive entre máquinas e relógios, nos bastidores da estação de Montparnasse, em Paris. Mesmo local onde um velho calvo e ranzinza mantinha sua lojinha de doces e brinquedos. Entre aventuras e apertos, a história de Hugo se cruza com a de Méliès, resgatando das sombras o cineasta e a história do cinema. Lindo filme.

Malévola

novo-comercial-do-filme-malevola-com-angelina-jolieSaiu o novo trailer de Malévola – e é de tirar o fôlego! Isso porque, dessa vez, Angelina Jolie rouba a cena e é possível ver um pouco mais de sua atuação como “a vilã mais terrível da Disney”. Também chama atenção a maquiagem de Angelina, que realça alguns traços da personagem, tornando-a mais macabra. Notadamente, a boca e os olhos de Angelina foram acentuados e as maçãs do rosto da atriz foram trabalhadas de modo a de aproximar seu visual ainda mais de sua versão na animação clássica A Bela Adormecida.

Além de Angelina, Malévola ainda estrela Juno Temple, Imelda Staunton e Branton Thwaites. A estreia mundial está programada para o dia 30 de maio.

O Instante Decisivo, por Elliott Erwitt

97c9669c01b9143a268bf27097877607_L
Elliott Erwitt  é publicitário e fotógrafo documental  conhecido por suas fotografias em preto e branco que captam, pessoas e situações no dia-a-dia de uma forma irônica e espontânea. É  também um dos poucos fotógrafos que se dedicou ao sorriso na fotografia. Suas imagens são marcantes, sua composição tem harmonia e equilíbrio entre os elementos, Elliott  é discípulo  do “Instante Decisivo” de Henri Cartier-Bresson.

Nascido em 1928, em Paris, filho de emigrantes russos, Erwitt se estabeleceu nos EUA, desde 1941. Formado em cinema, entrou na mitológica agência Magnum Photos a convite de um de seus fundadores, Robert Capa, em 1953, e desde então tem sido um membro de grande prestígio.

Elliott Erwitt teve exposições individuais em importantes museus e galerias de todo o mundo e fotografou  rostos conhecidos como Marilyn Monroe e Che Guevara.

Sobre o humor e a ironia presentes em suas fotografias Elliot Erwitt diz: “Algumas pessoas dizem que minhas fotos são tristes, alguns pensam que são  engraçadas. Engraçado e triste, não são realmente a mesma coisa?”.

James Cameron: antes do Avatar…um garoto curioso


Com seus filmes de alto orçamento (e faturamento ainda maior) James Cameron cria mundos fictícios totalmente únicos. Nesta apresentação pessoal, Cameron nos revela sua fascinante infância – desde a leitura de ficção científica até a prática de mergulho profundo – e como essas experiências levaram ao grande sucesso de seus campeões de bilheteria “Aliens”, “Exterminador do Futuro”, “Titanic” e “Avatar”.

“Então, arquivei a idéia (Avatar), e fiz esse outro filme sobre um enorme navio que afunda. Fui ao estúdio e lancei essa idéia como ‘Romeu e Julieta’ em um navio – “Vai ser um romance épico, um filme ardente”. Secretamente, o que eu queria fazer era mergulhar no mundo real do “Titanic”. E foi por isso que eu fiz o filme.”