Bolacha Brasilis

vinil_ntretrtr

Atenção amantes dos Lps! Temos uma ótima notícia para vocês!  O produtor e DJ Michel Nath resolveu resgatar a prensa da extinta gravadora Continental de um ferro velho e colocá-la de volta à ativa para marcar o início da segunda (e maior) fábrica de discos de vinil da América Latina, a Vinil Brasil.

Essa é uma notícia incrível para os amantes da boa música, que apreciam o som de corpo inteiro. E também para os artistas, que muitas vezes adorariam gravar seu álbum na versão old school, mas não o fazem pelo seu elevado custo de produção.

Nós amamos discos. Eles têm capas que são verdadeiras obras de arte. Encartes que muitas vezes nos transportam para outros lugares. Fora a experiência sensorial de passar os dedos por entre os discos, escolher um, acertar a agulha no ponto certo e ouvi-lo tocar na vitrola. Sua extinção e substituição por CDs, MP3 e variações, e agora pelo Spotify, tornou os discos de vinil itens cultuados nos últimos anos.

640x0-2033_f6d09603-c511-41ee-a0f0-c521e5cad9bbVinil

Mas não só de resgate a experiência sensorial vive um negócio. O mercado de discos de vinil cresceu 30% no mundo em 2015, de acordo com a consultoria Nielsen. No Brasil, o ritmo de crescimento seria parecido.

Com isso em mente,  a Vinil Brasil vai funcionar na Barra Funda, bairro da zona oeste de São Paulo, e terá capacidade para produzir 140 mil discos, entre LPs e compactos, por mês. Esse número significa quase quadruplicar a produção de discos no Brasil, que atualmente gira em torno de 40 mil bolachas por mês produzidos pela Polysom, única em operação nesse nicho, localizada no Rio.

Inovação apoiada em um produto essencialmente artesanal — e esse resgate é tendência. E você, conhece outros exemplos que misturam inovação e o feito à mão?

Disco_de_vinil_na_decoração-2

Anúncios

Especial Lollapalooza 2015 – FATNOTRONIC

1475906_991884220837224_2967000154996253647_n1

Um integrante do Bonde do Rolê com Killer On The Dancefloor?!?! Gorky e Phillip A. formam assim o FATNOTRONIC: um duo de DJs e produtores que não se prende a rótulos, passeando por todos os estilos e vertentes, criando uma explosão de grooves, ritmos e mashups provenientes da feliz somatória de quem já rodou o mundo com suas outras bandas, se apresentando em festivais como o Coachella, Rock In Rio, Lollapalooza, Sónar, etc…

Não à toa eles foram batizados por Iggor Cavalera (criador do nome) e apadrinhados pelos 2Manydjs, Diplo e Norman Cook. Atualmente o Duo lançou o seu mais novo E.P. pelo selo Chit Chat Records de Los Angeles, com alguns convidados inusitados, e acabaram de fazer um guestmix exclusivo para o programa “Diplo and Friends”, que foi ao ar pela radio inglesa BBC Radio1 e 1Xtra.

Em entrevista recente, Norman Cook (aka Fatboy Slim) cita a música “Margarida”, de Fatnotronic, no ‘TOP 5’ das músicas favoritas que influenciam a sua vida ao lado de artistas como Taking Heads.

Nome: Fatnotronic
País: Brasil
Ano de formação: 2012
Integrantes: Gorky (DJ) Philip A. (DJ)
Sucessos: Margarida, Onda, Two on Two

Fonte:http://www.lollapaloozabr.com/

Flash Mob Smirnoff – Green Apple sinal verde para balada

s1

Todo mundo tem algum amigo que sempre fica com preguiça e raramente se anima pra ir pra balada. Nesses casos, costuma ser mais eficiente pegá-lo de surpresa, assim, no meio da diversão, fica difícil recusar. Foi pensando nisso que a Smirnoff ICE montou uma brincadeira para incentivar amigos a curtirem mais baladas juntos.

s2

A marca combinou com algumas pessoas de levar um amigo para uma loja de conveniência em Porto Alegre. Lá, eles pegavam algumas garrafas do novo sabor Green Apple, e quando passavam no caixa, a loja se transformava numa balada, com direito a disco ball, DJ, música alta e várias pessoas dançando.

Com um “empurrãozinho” desses, não tem quem resistiria à balada né?