Energia

10421430_10152377723754003_960237696354992291_nb

Pelas leis da física a energia é a propriedade que os objetos têm de transferir algum tipo de impulso para outros objetos por diferentes modos. Todo organismo vivo requer  alguma forma de energia, que pode vir de diferentes fontes e origens.

A psique humana recebe impulsos energéticos emitidos pelo cérebro, este órgão estranho que habita nosso corpo. Sim, este órgão estranho que nos move, direciona, regula, impulsiona é conhecido apenas em 10% de sua totalidade. Então sobra 90% de desconhecido, misterioso, insondável, impenetrável de galáxias cerebrais, buracos negros, universos internos. Forças estranhas que nos levam a pensar , refletir, temer, ouvir, falar, imaginar, sentir, analisar, cantar, criar.

Freud criou a teoria do ego e do id. Segundo ele o id é a fonte primária dos desejos pessoais – ou anergia psíquica que alimenta o cérebro. Freud também definiu a teoria fonte das incontáveis sexualidades humanas, como uma força de energia instintiva.

Outros nomes da psicanálise como Carl Jung, Alfred Adler, Melanie Klein também analisaram a energia que emana dos objetos físicos e a energia psicológica que interage com os pensamentos. Para eles, essa energia precisaria ser compreendida a partir de teorias científicas, que explicam os fenômenos psicológicos sujeitos a leis precisas do mesmo modo como objetos se submetem à lei da gravidade proposta por Newton.

Assim, o conceito de energia psicológica é completamente distinto do conceito ocidental  que atribuí certo misticismo a uma suposta “energia espiritual”. Os estudos de psicodinâmicas, surgidos em 1874, apontam que TODOS os organismos vivos são sistemas energéticos movidos por princípios físicos e químicos.

Quando dizemos, portanto, que “alguma energia me moveu a criar isto” sabemos que 10% seria uma suposição acertada. Mas restaria ainda 90% de imprecisões, mistérios, emanações indetectáveis. Cada pessoa tem um espaço sideral dentro da cabeça. Por isso, essa força estranha nos leva a seguir a vida. Por isso, essa força estranha faz você ler esse texto e, ao mesmo tempo, refletir analisar, mentalizar, voar. Forças estranhas nos movem. E isso é bom.

 

 

Dia Internacional da Mulher – O despertar do feminino: A nossa força Gestadora

Muito se fala sobre recursos exauridos e a necessidade de mudar o modelo mental do nosso sistema em prol da sobrevivência da nossa própria espécie. Curioso imaginar que este processo possa ser linear, lógico, objetivo, mental… Entre pessoas que já moveram mudanças significativas em suas vidas e em suas comunidades, algo aconteceu antes de chegar até as suas mentes. Algo revirou por dentro, desencaixou, cutucou, palpitou, doeu, fluiu, cresceu, tornou-se livre e então pode expressar-se, chacoalhar e tocar mais pessoas. Dificilmente o caminho foi traçado e seguido à risca. O caminho se fez ao caminhar…

Houve entrega e confiança. Porque havia algo a mais. Uma inteligência integrada à inteligência da própria natureza. Ancorada nos sentidos. Atenta e fiel aos próprios instintos. Ligada à essência da criação e do coração. Cuidadosa com sementes ainda imaturas. Receptiva ao tempo de espera. Aberta para interagir, mudar e expandir-se. Ciente da dança entre o ser e o estar.Tocada pela experiência. Intensa. Suave. Precisa. Conectada ao momento. A serviço da vida.

Esta força incontrolável e potente cutuca, pulsa e flui o tempo todo dentro de nós. Ela está em perfeita sintonia com a vida que nos cerca, mas muitas vezes é negada e negativada nas nossas ações e relações… porque está além do nosso controle. É o espaço interior onde habita o nosso feminino, a nossa força Gestadora. Uma parte essencial de nós mesmos, que quando acessada, nos torna mais íntegros, mais humanos, mais livres, mais realizados e realizadores.

A capacidade de reconhecer e validar essa força como uma co-inteligência parece intimamente ligada à nossa capacidade de gerar a vida que desejamos viver aqui, agora, amanhã e depois de amanhã. Mas para isso é preciso ousar, tolerar andar no meio-fio, na berlinda, na dúvida, no desconhecido…

Algumas pessoas experimentaram e encontraram mais que sentido nessa jornada. Queremos ouvir mais sobre essas histórias.

O TEDxDaLuz 2011 se dedicou a ouvir histórias de quem vem experimentando a vida que pulsa e emerge dentro de si. Os caminhos e ideias que surgem nessa dança, e a sintonia tecida com a vida vivida. Como este despertar da nossa natureza feminina transforma como nos vemos e agimos com o mundo? Como tem sido as jornadas de quem dialoga com essa inteligência circular? Queremos ouvir quem deu ouvidos às suas inconformidades, quem seguiu na sua busca com confiança diante das incertezas, quem experimentou a coragem (coração que age) na travessia de si mesmo e quem tem histórias pra contar que possam inspirar mais pessoas nas suas próprias Jornadas Gestadoras.

Saiba mais: tedxdaluz.com.br