Tecnologias interativas -Instalação Wave Dilfert

wave2

Mais um exemplo  de uma instalação interativa que reage a movimentos e mudanças de luz criando ambiente imersivos. Com o advento das novas tecnologias de comunicação e informação, novos cenários evolutivos designados de espaços virtuais imersivos foram sendo desenvolvidos, modificando a cultura de forma surpreendente, um novo contexto ganha dimensão a partir das imagens, estabelecendo-se novas formas de interação.

O ambiente da arte, ao buscar estados carregados de subjetividade, é um campo fértil para pesquisas nesta direção que voltam-se a aspectos poéticos, artísticos e estéticos de sistemas complexos interativos e imersivos.

Os resultados vêm contribuindo para a pesquisa científica e para a arte contemporânea brasileira e internacional através de criação artística com poéticas tecnológicas no campo da ciberestética. Verificam-se modos de sentir ampliados pelas tecnologias interativas e imersivas neste momento pós-biológico, onde o corpo age, pensa e sente acoplado a sistemas computadorizados.

Anúncios

COCA-COLA MUSIC CONNECTION

A partir do dia 18/10, jovens de 12 a 25 anos de idade, com bandas de todos os estilos musicais, terão a oportunidade de se apresentar publicamente e concorrer a prêmios.

Depois de passar por Brasília (DF) e Goiânia (GO), o Coca-Cola Music Connection, ou simplesmente CMC, acontecerá em Uberlândia (MG) e Belém (PA) simultaneamente, com o objetivo de promover bandas não profissionais, dando espaço para que compartilhem momentos únicos por meio da música.

O projeto é gratuito e une interatividade, dinamismo e tecnologia e traz cinco diferentes estações: o estúdio de Todo Mundo, Coca-Cola Band Machine, o Coca-Cola Dance Machine, o Coca-Cola Play e um estúdio de rádio. A ideia é unir as paixões dos jovens: música, compartilhamento, amigos e diversão.

Para participar do concurso, basta ter uma banda musical, não profissional, composta por no mínimo duas pessoas e no máximo sete. O projeto acontece em quatro fases. Na primeira, a banda faz a inscrição no site de 18/10 a 29/10 ou no próprio local.

Após inscritos, os grupos participarão da segunda fase, que inclui audições e gravações realizadas no estúdio montado no Shopping Pátio Belém e no Center Shopping de Uberlândia.

No local, o grupo vai gravar um clipe, enquanto a plateia acompanha e torce pelas bandas. Ao final das audições, os vídeos gravados ficarão disponíveis no site do Coca-Cola Music Connection para votação.

A melhor banda de cada cidade vai ganhar um prêmio de estrela: a oportunidade de gravar um CD em estúdio profissional, fazer uma sessão fotográfica, e sessão fotográfica e a identidade visual da banda, além de participar da final nacional com as quatro finalistas. A banda vencedora do concurso nacional também leva pra casa instrumentos e equipamentos, e a sua música tocará durante um mês na rádio web Coca-Cola FM.

Entre as atrações do evento, a Coca-Cola BandMachine é uma plataforma com games que simulam instrumentos musicais. A Coca-Cola Dance Machine é um jogo ativado com os movimentos do corpo, sendo possível seguir os passos da tela.

Coca-Cola Play é um estúdio, que permite participar de um vídeo da música “Todo Mundo”, criada em homenagem à Copa do Mundo de 14 e gravada por Gaby Amarantos e Monobloco.

FILE 2013

file-fiesp-predio

Em cartaz no Centro Cultural Fiesp, o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica apresenta 23 obras de arte digital com entrada gratuita até 1º de setembro. Famoso por suas longas filas nos fins de semana, o evento tem um público cativo que o procura principalmente pela possibilidade de interagir de diversas maneiras com instalações, animações, aplicativos para tablet e games, entre outros trabalhos. Em sua 14ª edição, em 2012, o festival recebeu 50 mil pessoas. Para evitar o tumulto, a dica é fazer a visitar durante a semana ou aos sábados e domingos, pela manhã.

É importante reservar de 2 a 3 horas para conhecer todos os trabalhos em exibição neste ano. Não há um roteiro a seguir. No salão, vale ficar livre e experimentar as mais diferentes sensações que as peças podem despertar, sem pressa. O estudante de moda Wladimir Rocha, que estava na abertura, no último dia 22, levou a sério essa proposta. “É bacana usar a tecnologia a favor da arte de uma forma interativa”, disse.