O Retorno de Saturno

Lia e Samuel Rosa Estúdio

Algumas pessoas tem uma energia tão forte, um desejo tão intenso que por isso atraem e realizam coisas incríveis para si e para o mundo. Esse é o caso de Lia Paris. Simplesmente autentica, por onde passa essa mulher furacão meche todas as coisas de lugar e  enche tudo com a sua luz ao ponto de ficar entediante quando se vai.

Depois de abalar em sua turnê pela Europa e NY onde gravou o Clip de Wild Boy,  música que compôs com Marcelo Jeneci,  preparava-se para a estréia de sua coleção de Beachwear para o Café de la Musique  e sua temporada de shows no Réveillon de Trancoso. Foi quando uma coisa incrível aconteceu…

Samuel Rosa ouviu o som de Lia Paris e adorou. E foi assim que ela recebeu o convite para compor duas músicas para o novo álbum do Skank.

 Sentindo-se abençoada sob o céu da Bahia, depois de cantar com Elba Ramalho, Tonny Garrido, fazer um Live com o Bushwacka e chamar a atenção de Sonia Racy e virar página de jornal, Lia escreveu uma música inspirada no turbilhão de sentimentos provocados pelo Retorno de Saturno.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na última terça-feira Lia embarcou rumo á Belo Horizonte para gravar sua participação especial no novo Cd do Skank. Ela conta que cantar com Samuel foi uma experiência mágica da qual jamais esquecerá.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma estrela é assim. De seu coração nascem as coisas que iluminam o mundo e mesmo de muito longe sente-se  seu brilho e seu magnetismo. Compondo e cantando sobre experiências reais, Lia Paris está trabalhando em seu primeiro disco autoral e por conta de seu carisma, grandes nomes da música realizam participações especiais.

Seu EP com três músicas, foi produzido por Dudu Aram e Antônio Pinto, será lançado em breve com as faixas Azul e Flores, Wild Boy escrita por ela em parceria com Marcelo Jeneci e Sua Constelação que conta mais uma vez com a participação de Marcelo e Zélia Duncan, a bateria hipnótica de Fredo Ortiz dos Beastie Boys e guitarra marcante do músico Edgard Scandurra.

Se você ainda não ouviu falar de Lia Paris, isso é por pouco tempo, o talento dela promete estourar nas paradas de sucesso. Ouça porque no SoundCloud da cantora.

1497593_10201215753491485_12661197_n

Anúncios

Tecnologias interativas -Instalação Wave Dilfert

wave2

Mais um exemplo  de uma instalação interativa que reage a movimentos e mudanças de luz criando ambiente imersivos. Com o advento das novas tecnologias de comunicação e informação, novos cenários evolutivos designados de espaços virtuais imersivos foram sendo desenvolvidos, modificando a cultura de forma surpreendente, um novo contexto ganha dimensão a partir das imagens, estabelecendo-se novas formas de interação.

O ambiente da arte, ao buscar estados carregados de subjetividade, é um campo fértil para pesquisas nesta direção que voltam-se a aspectos poéticos, artísticos e estéticos de sistemas complexos interativos e imersivos.

Os resultados vêm contribuindo para a pesquisa científica e para a arte contemporânea brasileira e internacional através de criação artística com poéticas tecnológicas no campo da ciberestética. Verificam-se modos de sentir ampliados pelas tecnologias interativas e imersivas neste momento pós-biológico, onde o corpo age, pensa e sente acoplado a sistemas computadorizados.

Seres de Luz

O artista inglês Chris Bucklow , é conhecido por usar uma técnica peculiar de fotografia  pinhole, que usa a luz do dia para fazer silhuetas humanas cintilantes. Ao contrário da fotografia convencional, cada imagem é única e impossível de ser feita novamente. Ele começa por desenhar a silhueta feita a partir da sombra de uma modelo sobre uma folha de papel de alumínio, que é então penetrado com milhares de furos no interior do contorno da forma. Estes furos atuam como lentes da câmera.

Usando uma câmera grande e caseira, ele coloca a folha em cima e puxa o papel fotográfico colorido nas costas. A luminosidade solar passa através dos furos, gravando muitas imagens do Sol e do céu, simultaneamente, formando assim a forma da figura no papel para trás. Bucklow alcança variação nas obras dependendo da intensidade da luz solar, a hora do dia, e da duração dos furos são expostos, criando homens e mulheres feitos de luz.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Design de Interiores

Este slideshow necessita de JavaScript.

Blue Cocoons

A artista suíça Sophie Guyot gosta de explorar os diferentes aspectos de luz, um de seus elementos favoritos. Seu mais recente trabalho de grande escala foi instalado no Centro de Aprendizagem Rolex. A instalação é composta de 45 casulos de luz azul, que simboliza a vida em formação.

Este slideshow necessita de JavaScript.