Tecnologias interativas -Instalação Wave Dilfert

wave2

Mais um exemplo  de uma instalação interativa que reage a movimentos e mudanças de luz criando ambiente imersivos. Com o advento das novas tecnologias de comunicação e informação, novos cenários evolutivos designados de espaços virtuais imersivos foram sendo desenvolvidos, modificando a cultura de forma surpreendente, um novo contexto ganha dimensão a partir das imagens, estabelecendo-se novas formas de interação.

O ambiente da arte, ao buscar estados carregados de subjetividade, é um campo fértil para pesquisas nesta direção que voltam-se a aspectos poéticos, artísticos e estéticos de sistemas complexos interativos e imersivos.

Os resultados vêm contribuindo para a pesquisa científica e para a arte contemporânea brasileira e internacional através de criação artística com poéticas tecnológicas no campo da ciberestética. Verificam-se modos de sentir ampliados pelas tecnologias interativas e imersivas neste momento pós-biológico, onde o corpo age, pensa e sente acoplado a sistemas computadorizados.

Anúncios

Pesquisa revela quais marcas foram mais lembradas por proporcionar bons momentos ao público no Rock in Rio

Qual marca chamou mais atenção dos que estiveram no Rock in Rio? E daqueles que acompanharam via TV ouweb?

Um estudo da Ilumeo com mais de 1.200 pessoas levantou estes e outros dados relativos ao evento que encerrou no dia 22/09, na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro. De acordo com as informações levantadas, considerando-se o público que estava no local e o que acompanhou a distância, a Coca-Cola foi a marca com a melhor lembrança, com 58%, seguida por Itaú  (53%) e Heineken (52%).

A Coca-Cola ficou na lembrança do público do Rock in Rio 2013 (Foto: Mateus Arisa/Promoview).

O curioso é que, ao fragmentar estes dados,  o resultado muda um pouco. Quando se leva em conta quem foi ao evento, o Itaú tem 74%, seguido pela Coca-Cola (67%), Heineken(66%) e Club Social, que aparece com 57% contra apenas 36% obtidos quando o critério foi o público geral.

Astro do Rock foi a ação de marketing promocional que o Itaú levou à Cidade do Rock.

“Na métrica de lembrança de patrocínio dentre das pessoas que foram ao Rock in Rio, as marcas que mais têm seus índices elevados, em relação ao público em geral, são Itaú e Club Social. Provavelmente, estas marcas tiveram atuação marcante no evento”, observaDiego Senise, diretor da Ilumeo.

Balanço do evento

A organização do Rock in Rio divulgou no dia 27/09, o balanço final do festival. No total, foram 90 horas de música ao longo de sete dias e um público de 595 mil pessoas presentes na Cidade do Rock para acompanhar mais de 160 atrações.

Segundo estimativas da Secretaria de Turismo do Rio de Janeiro (Riotur), o Rock in Rio gerou um impacto na economia do Rio de Janeiro de mais de R$ 1 bilhão, atingindo uma média de 90% de ocupação dos quartos da rede hoteleira carioca.

Os resultados na web merecem destaque. O Rock in Rio alcançou a marca de mais de 10,256 milhões de seguidores nas redes sociais, sendo que registrou um crescimento de 704 mil fãs só durante o festival.

O site oficial do evento obteve cerca de 4,5 milhões de visitas e aproximadamente 9,2 milhões de page views. Os principais países que acessaram, além do Brasil, foram Estados Unidos, Portugal, México e Chile, nesta ordem.

O sucesso dos brinquedos instalados na Cidade do Rock, que levavam o nome de patrocinadores e contaram com filas gigantes durante todos os dias, também pode ser expressado em números.

A Heineken está entre as mais lembradas do evento de rock (Foto: Mateus Arisa/Promoview).

Um total de 95.741 pessoas passaram pela roda-gigante, tirolesa, turbo drop, montanha russa e parede de escalada ao longo do festival. Na alimentação os dados também são grandiosos: foram consumidos 530 mil litros de cerveja, 420 mil garrafas de água, 210 mil copos de refrigerante, 9,7 toneladas de copos de refrigerantea, 130 mil pães de queijo, 48 mil pizzas, 29 mil cachorros quentes e 280 mil hambúrgueres.

FILE 2013

file-fiesp-predio

Em cartaz no Centro Cultural Fiesp, o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica apresenta 23 obras de arte digital com entrada gratuita até 1º de setembro. Famoso por suas longas filas nos fins de semana, o evento tem um público cativo que o procura principalmente pela possibilidade de interagir de diversas maneiras com instalações, animações, aplicativos para tablet e games, entre outros trabalhos. Em sua 14ª edição, em 2012, o festival recebeu 50 mil pessoas. Para evitar o tumulto, a dica é fazer a visitar durante a semana ou aos sábados e domingos, pela manhã.

É importante reservar de 2 a 3 horas para conhecer todos os trabalhos em exibição neste ano. Não há um roteiro a seguir. No salão, vale ficar livre e experimentar as mais diferentes sensações que as peças podem despertar, sem pressa. O estudante de moda Wladimir Rocha, que estava na abertura, no último dia 22, levou a sério essa proposta. “É bacana usar a tecnologia a favor da arte de uma forma interativa”, disse.

LIGHT “JANNE” PAINTING: E FAZ-SE LUZ

05_Late-Night-Show-(20'-exposure)

Antes de vos propor uma experiência resplandecente, permitam-me que vos apresente Janne Parviainen, mais conhecido como Jannepaint, um brilhante pintor e fotógrafo finlandês cuja técnica pessoal reflete a centralização da vida no urbano e na tecnologia. Janne utiliza paisagens naturais e ambientes urbanos como telas tridimensionais para as suas pinturas, transformando a bela rudeza intrínseca das ruínas de uma casa em cenários encantadores. Pinta ora esqueletos luminosos ora monstros de luz, ambos ora em cenários comuns ora em cenários improváveis. As suas fotografias são mantidas o mais naturais possível, sem pós-produção ou efeitos digitais, transparência que preserva o feitiço da técnica. Jannepaint trabalha o simbólico e ressuscita imaginários. Embebe a realidade de saturações pictóricas, quase palpáveis.

O figurino vanguardista Vivienne Westwood para o English National Ballet

A estilista In foi convidada para renovar a imagem do Balé Nacional Inglês com uma campanha em que celebra a fusão da modernidade e tradição ao exibir os os bailarinos da companhia com as peças de sua coleção Primavera/Verão 2013.

Além da campanha, será apresentado um novo logotipo, produção de imagens e um novo site da companhia. A estilista é a primeira de uma série de colaboradores deste projeto de renovação de imagem, que pretende afastar a ideia de dançarinos de tutus convencionais e mostrar um outro lado, mais contemporâneo e criativo.

A tendência em convidar estilistas renomados para vestir companhias de balé já não é de hoje. Em 2009, Ronaldo Fraga criou peças exclusivas para o espetáculo “Passanoite”, da São Paulo Companhia de Dança e, no mesmo ano, Jean-Paul Gaultier desenhou as roupas de “Blanche Neige”.

Confira em nossa galeria de imagens algumas fotos da campanha.

Vivienne-Westwood-Ballet

4f83aee643401acbd359e9bcf06996a2

949bae81a276fd09f8a2c371ff3ee0791

II Bienal Internacional Graffiti Fine Art

Grafitando - 2ª Bienal Internacional de Graffiti Fine Art O MUBE (Museu Brasileiro da Escultura) começou a expor a 2ª Bienal Internacional Graffiti Fine Art, que visa difundir o graffiti como arte de galeria no Brasil, como já ocorre em outros países.

O graffiti, assim como o prêt-à-porter na moda no século XX, vive hoje uma transição de ” não arte” para arte. Ele finalmente saiu do mundo underground, exclusivamente das ruas, e passou a ter espaço como arte do Brasil.

Os artistas grafitaram suas obras dentro do museu. Alguns grafiteiros se uniram para produzir obras conjuntas, realçando outro ponto da exposição,unindo grafiteiros de todo o mundo.

Dentre os 51 artistas expostos, 16 são de fora do país, com tantos artistas diversos de lugares distintos tanto fora e dentro do Brasil, a exposição conseguiu reunir várias obras de diferentes estilos, técnicas e temáticas,  tornando-a uma bienal que reuniu todos os aspectos do mundo do graffiti; as obras foram feitas com a ajuda de materiais e instrumentos variados como, pastilhas de vidros, videos, esculturas  placas de alumínio, bonecos gigantes, instalações, arte sinética e óptica e até mesmo um carro.

O “Metrópole”, programa cultural da tv cultura, cobriu o making of da bienal. Abaixo seguem a lista de artistas expostos e as informações da bienal(retirados do site oficial do MUBE): artistas 2ª Bienal de graffiti fine art 2ª Bienal Internacional Graffiti Fine Art Local: MuBE – Museu Brasileiro da Escultura – Av. Europa, 218, São Paulo-SP Abertura ao público – 22 de janeiro de 2013 Data de encerramento: 24 de fevereiro Entrada gratuita Informações:  11 2594-2601, mube@mube.art.br/ http://www.mube.art.br Horário de funcionamento: terça a domingo, das 10h às 19h