FILE 2013

file-fiesp-predio

Em cartaz no Centro Cultural Fiesp, o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica apresenta 23 obras de arte digital com entrada gratuita até 1º de setembro. Famoso por suas longas filas nos fins de semana, o evento tem um público cativo que o procura principalmente pela possibilidade de interagir de diversas maneiras com instalações, animações, aplicativos para tablet e games, entre outros trabalhos. Em sua 14ª edição, em 2012, o festival recebeu 50 mil pessoas. Para evitar o tumulto, a dica é fazer a visitar durante a semana ou aos sábados e domingos, pela manhã.

É importante reservar de 2 a 3 horas para conhecer todos os trabalhos em exibição neste ano. Não há um roteiro a seguir. No salão, vale ficar livre e experimentar as mais diferentes sensações que as peças podem despertar, sem pressa. O estudante de moda Wladimir Rocha, que estava na abertura, no último dia 22, levou a sério essa proposta. “É bacana usar a tecnologia a favor da arte de uma forma interativa”, disse.

The Sugar Lab: levando a confeitaria a um outro nível

3D_printed_sugar_lab_diamonds_gallery

Quem não ama bolos decorados? A cada dia que passa, novas técnicas e invenções são criadas para aprimorar a prática, que é pura arte. Um outro nível de “novidade” foi atingido pelo casal Kyle e Liz von Hasseln, que têm uma empresa chamada The Sugar Lab.

O trabalho do The Sugar Lab é, “basicamente” produzir esculturas de açúcar utilizando a técnica de impressão em 3D:  uma mistura de álcool e água é aplicada em camadas para molhar e depois endurecer o açúcar, que se transforma em geométricas e inacreditáveis estruturas.

O serviço é exclusivo e customizado. Não produz, com o perdão do trocadilho, em massa.  O processo de desenvolvemento começa num rascunho, quando o cliente compartilha sua ideia, tema, humor, e o casal trabalha para “traduzir” isso numa linguagem digital.

Uma ótima ideia para casamentos, aniversários ou, por que não, para decoração da casa?

Uma Garota e o seu Gato

Sandro_Botticelli_038 v2

Nascido em uma pequena cidade rural na Rússia em 1963, Andy Prokh é um economista, mas um fotógrafo nas horas vagas. Passou os últimos sete anos testando as suas habilidades com fotos, e achou o seu tema preferido para fotografar: a sua filha Catherine e o seu gato Lilu.

Na série intitulada “Uma Garota e o seu Gato”, ele tira fotos em PB mostrando a relação de amizade e carinho entre a sua filha e Lilu.